As primeiras caixas já foram saindo. Coisas de pouca utilidade no que diz respeito ao dia-a-dia. Para último, deixámos a nossa roupa e coisas de higiene, e podem ter a certeza que tem sido bem mais fácil empacotar tudo do que decidir o que é imprescindível na nossa mochila.

Bem, falo por mim (Marta), neste caso específico. O Bagagem já tem a sua Bag arrumada a mais de uma semana de irmos. Eu deixei para os últimos dias, em que ainda tenho algumas coisas em nossa casa e na verdade precisei da ajuda da Sofia e do Mica – recém chegados de uma viagem pelo sudeste asiático e não só.

Viver em casa dos pais, teria sido uma grande ajuda no que diz respeito a esta viagem.
É que isto de empacotar uma casa quando vamos sair por tempo indeterminado dá que fazer.
Desde seleccionar o que vender, dar, mandar para o lixo, ao facto de achar que podemos deixar tudo porque não vamos nunca mais precisar…
Acho que, no final de contas acabámos por fazer o trabalho certo e ficar com o indispensável caso seja preciso montar, um dia, o nosso cantinho outra vez.

 

Mas e então o que levamos nas mochilas de 40L e 50L?

No total pelos dois:

1 Tenda, 2 lençóis-cama, 2 colchões insufláveis, 1 rede mosquiteira; 2 pares de chinelos, 2 pares de ténis, 6 cuecas, 4 boxers, 6 meias, 3 soutiens; 8 t-shirts, 4 camisas, 2 calças/calção,  2 calções,  2 biquínis, 2 casaco/impermeável, 4 toalhas micro fibra; 2 livros, 2 caderninhos para apontamentos, 2 canetas, 2 mochilas pequenas; 1 slackline; 2 repelentes corpo, 2 repelentes roupa; coisas de higiene à base de amostras e de frascos minúsculos para encher; medicação (de tudo e mais alguma coisa); máquina fotográfica, carregador duplo de baterias, 4 baterias, mini tripé, 2 Power banks, 1 transformador/carregador USB, 6 cabos, 1 disco externo, 2 cartões de memória; Kit primeiros socorros/sobrevivência: 2 apitos, 2 mantas térmicas, 1 firestarter, fitas serrilha, 4 molas roupa, 1 frontal, pensos, 8 soros individuais, compressas, 1 pinça, 1 termómetro.

Documentação: trouxemos o indispensável, duas cópias de cada documento identificativo assim como passaporte, receitas e cópia das mesmas, 10 fotos tipo passe para vistos e fizemos scan disto tudo para o nosso e-mail.

Cartões de crédito, e o amigo Revolut (cartão de crédito recarregável, que não tem taxas até 200€ de levantamentos mensais), algum dinheiro para trocar e muita vontade de ir.

 

No fim de contas, percebemos que sempre tivemos mais do que precisamos e que precisamos de muito menos que temos.

Com amor,

Marta & Bag

Ao som de Charles Bradley – World

2 Replies to “Encaixotar uma casa vs mochila”

  1. Amei, sobretudo a frase final 🙂
    “percebemos que sempre tivemos mais do que precisamos e que precisamos de muito menos que temos”.
    Muito love para vocês

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *